contato@interfacesconsultoria.com.br

(19) 99147-3292

Produtos e Expertises da Interfaces

Planos Municipais
O Plano Municipal é um instrumento de planejamento que fundamenta, regulamenta e orienta a proposição e execução de políticas públicas nas instâncias de governo, para o período nele determinado, tendo por foco o segmento de política pública e o conjunto de conceitos aos quais se refere. Orienta o desenvolvimento de curto, médio e longo prazos, uma vez que define as metas a serem seguidas, prevê a programação física, financeira e institucional para a implantação das ações; define políticas públicas estruturantes, sistêmicas, sustentáveis, transversais, inclusivas, participativas, democráticas e transparentes; estabelece programas e projetos necessários para atingir os objetivos propostos. Os Planos contribuem para a implementação de novos modelos de gestão, estabelece processos focados no desenvolvimento social e na promoção da cidadania. A INTERFACES, na elaboração de planos municipais e estaduais, privilegia metodologias participativas, envolvendo os diversos atores sociais no processo de construção, fortalecendo a participação democrática e garantindo a adesão e o comprometimento.
CURRÍCULO DA INTERFACES:
  • Planos Municipais de Assistência Social;
  • Planos Municipais de Convivência Familiar e Comunitária;
  • Planos Municipais de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes;
  • Planos Municipais de Atendimento Socioeducativo;
  • Planos Municipais de Atendimento à População em Situação de Rua;
  • Plano Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador.
Assessoria/Consultoria
Assessorar é oferecer elementos ou recomendações sobre o melhor procedimento perante uma situação específica, visando a tomada de decisões. Normalmente o assessor se envolve na elaboração e execução. A consultoria se define como fornecer aconselhamento profissional ou especializado a uma organização. A INTERFACES interpreta com as organizações o melhor formato para que as situações que as desafiam e que justificam a busca pelo apoio técnico sejam dirimidas. Propõe que o envolvimento dos profissionais locais ocorra de maneira a prover a apropriação de conhecimentos hábeis a instrumentalizá-los à resolução de situações análogas, sempre que se fizerem presentes no contexto institucional. CURRÍCULO DA INTERFACES:
  • Acompanhamento técnico na implantação do Sistema Único de Assistência Social com capacitação de equipes locais;
  • Consultoria a conselhos municipais e gestores quanto a critérios de análise de planos de ação para fins de cofinanciamento;
  • Assessoria a organizações da sociedade civil na elaboração de projetos técnicos conforme dispõe a Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais.
Capacitação de Equipes
Ter uma equipe preparada e atualizada quanto as requisições das normativas que orientam as políticas públicas é fundamental para o alcance dos objetivos institucionais. O trabalho em equipe, as articulações intersetoriais, interdisciplinares, os processos participativos que apontam para a cidadania, a apropriação de metodologias de intervenção inovadoras, são elementos imprescindíveis na condução das políticas públicas potencializando os seus resultados e, para isso, requerem profissionais preparados para o enfrentamento de realidades cada vez mais complexas. A INTERFACES, nos processos de capacitação que desenvolve, procura estabelecer a relação teoria-prática a partir de situações concretas vivenciadas pelos profissionais locais, instrumentalizando-os para o aprimoramento das práticas com segurança e criatividade. CURRÍCULO DA INTERFACES:
  • Palestras, cursos e circuitos de capacitação tendo por elemento basilar a realidade local;
  • Capacitação de equipes para a condução de conferências municipais;
  • Capacitação de conselheiros municipais.
Certames Seletivos
Processos seletivos voltados à verificação das condições de candidatos a vagas de conselheiros tutelares com respeito ao conhecimento sobre a legislação e de tomada de decisões em situações concretas que impliquem na aplicabilidade de normativas da área. A INTERFACES defende que o conhecimento sobre a legislação precisa contar com a sua devida interpretação perante os acontecimentos que eventualmente impliquem na violação de direitos de crianças e adolescentes. CURRÍCULO DA INTERFACES: Preparação dos candidatos por meio de minicursos e aplicação de processos seletivos municipais a candidatos a vagas de conselheiros tutelares.
Conferências
Conferências são espaços amplos e democráticos de discussão e articulação coletivas em torno de propostas e estratégias de organização. Sua principal característica é reunir governo e sociedade civil organizada para debater e decidir as prioridades nas políticas públicas nos próximos anos. Na medida em que os diversos segmentos envolvidos com o assunto em questão participam do debate promovido na realização de uma Conferência, pode-se estabelecer um pacto para alcançar determinadas metas e prioridades, além de abrir um espaço importante de troca de experiências. A INTERFACES defende que as Pré-conferências e Conferências Municipais são espaços propícios para a ampliação do conhecimento da população sobre o campo de direitos e as especificidades da política pública. Para tanto, utiliza recursos metodológicos que possibilitam a plena participação por meio da ludicidade, de acordo com os segmentos etários e com os conteúdos a serem abordados, o que resulta na valorização do evento enquanto as suas possibilidades de interferência na vida cotidiana da sociedade local. CURRÍCULO DA INTERFACES:
  • Palestras, condução e realização de Pré-Conferências e Conferências Municipais de Assistência Social;
  • Palestras, condução e realização de Conferências Municipais Lúdicas e Convencionais dos Direitos da Criança e do Adolescente;
  • Organização de dados, condução dos grupos, sistematização de propostas, elaboração de Anais, assessoria técnica das VIII e XI Conferências Estaduais de Assistência Social.
Diagnóstico Social
O diagnóstico social tem como objetivo o conhecimento da realidade e constitui uma das ferramentas mais importantes para a aproximação da realidade em estudo. Quanto mais preciso for este aprofundamento mais fácil será determinar os impactos que se pretende produzir com o conjunto de ações que serão estabelecidas. O diagnóstico encontra-se ligado aos valores da sociedade, auxilia no estabelecimento de prioridades, possibilita conhecer as causas que estão na origem dos problemas, orienta e otimiza a aplicação de recursos públicos. A INTERFACES adota metodologias participativas e lúdicas que possibilitam o envolvimento direto da população-alvo, além de engajar, no processo, as instituições e os profissionais que operam as políticas públicas de maneira a garantir a radiografia da problemática em sua totalidade. CURRÍCULO DA INTERFACES:
  • Diagnóstico Social Municipal;
  • Diagnóstico sobre o Financiamento da Assistência Social no município;
  • Diagnóstico Municipal da Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente;
  • Diagnóstico da População em Situação de Rua.